Ágeis Neuróticas em: Metrô Rules

Ao analisarmos nossa vida dinâmica na capital percebemos que são tantas as informações que temos que processar, que cada vez mais elas vão se infiltrando em nós. Nos perdemos em meio aos excessos desse bombardeio de informações. Percebemos que nossos valores vão se diluindo em meio a confusão e, nesse contexto, nós acabamos sendo guiadas apenas por nossos instintos.

O espetáculo Ágeis Neuróticas em – Metrô Rules, é um experimento cênico que procura evidenciar uma inquietação sobre a sociedade contemporânea da cidade de São Paulo, através da subversão da dinâmica do espetáculo convencional, buscando dramaturgias visuais e plásticas, se encaixando assim na vertente pós-moderna do teatro.
O espetáculo/instalação cênica vem qualificar as conseqüências dessa vida que levamos todos os dias em meio ao caos de uma cidade grande. Assim, o tema surgiu da pesquisa (bombardeio de informações, proibições, propagandas, produtos, pessoas, comportamentos, formas de ser e estar, que estão cada dia mais impondo a alienação à maioria da população, fazendo assim, com que as pessoas percam seu sentido de ser)  e análise das nossas experiências urbanas na cidade de São Paulo.
Partimos de um pressuposto que, essa velocidade que a capital exige nos faz agir automaticamente, na maioria das vezes não pensamos, não refletimos sobre os fatos, apenas reagimos a eles, e reagimos através dos instintos. 
Nós assistimos a situações de “desumanização humana” a todo momento em qualquer lugar. O homem está cada vez mais respondendo as ações de uma forma única, isto é, está apenas reagindo reflexo instintivamente às ações. O ser humano esta apresentando atitudes como adaptação, acomodação e ajustamento; esses comportamentos são inerentes aos animais. 
Agéis Neuróticas em: Metrô Rules - vem assistir a animalização pós-moderna.

Atuação, direção e concepção: Ariadne Amaral e Daiane Baumgartner